Agricultura urbana no centro da cidade de Lisboa

Em termos simples, a definição de agricultura urbana é o cultivo de legumes e frutas numa região com uma elevada densidade populacional. Durante os últimos anos, a agricultura urbana tornou-se popular entre as pessoas que vivem em cidades populosas. Portugal e Lisboa, em particular, não são excepção a esta tendência.

 A cidade de Lisboa sempre foi famosa pelas suas muitas "hortas urbanas".

 Mas por que é que a agricultura urbana se tornou uma tendência e por que é que é uma coisa boa?

 Pegada ecológica menor

Primeiro, o cultivo local de alimentos permite produzir perto dos seus clientes, eliminando transportes desnecessários e reduzindo as emissões de CO2. Não só é uma vantagem para o planeta, como também para si e para os seus clientes, uma vez que menos transporte significa menos custos.

 

 Mais resiliência

 A produção local de alimentos também ajuda a criar resiliência. Resiliência é a capacidade de resistir a choques e em particular poder ser auto-suficiente caso a cadeia global de abastecimento alimentar se depare com alguma escassez.

 Economia circular

 Em terceiro lugar, em muitos casos, é possível utilizar os resíduos orgânicos disponíveis localmente como um recurso para o cultivo de alimentos. Reduzir os resíduos em aterro e, consequentemente, as emissões de gases. Um bom exemplo é a utilização de resíduos de café para o cultivo de cogumelos ostra frescos ;)

 Criação de empregos

 Uma boa razão para cultivar alimentos dentro da cidade é que ela cria empregos e junta a comunidade local em torno de um projeto. Muitas vezes resulta em ligações mais fortes entre a comunidade!

 

 Conectar com a natureza

 Por último, mas não menos importante, a agricultura urbana tem como principal objectivo reconectar-nos à terra. Crianças, idosos, todos se podem juntar e sujar as mãos.

 From waste to taste